Como usar a crase, e onde não se deve usá-la?

Como usar a crase, e onde não se deve usá-la? Qual é a grande dificuldade com a crase?
O uso da crase é muito mais simples do que parece. Duvida?

Primeiro, tenha em mente que existem dois significados para a palavra a:

Pode ser um artigo, como em: a casa, a Maria.
     (Outro artigo é o o, como em: o lago, o João.)

Pode ser uma preposição, como em: fui a Paris.
    (Às vezes, este a pode ser substituído por para, como em: fui para o parque.)

Mas ocorrem muitos casos em que um artigo (a ou o) precisa vir logo depois de uma preposição (a, para), como nos seguintes exemplos:

- Fui ao cartório.
- Saí para a chuva.
- Fiz o pedido a a garçonete.

Notou o que ocorreu no último exemplo? Temos dois tipos de a, um é o que designa o gênero da pessoa garçonete e o outro indica que o pedido foi feito para a garçonete. Mas não vemos este tipo de construção de frase na língua portuguesa, porque aglutinamos os dois as em um só. Quando o fazemos, precisamos indicar que há dois as escondidos no mesmo a, e esta indicação é feita pela crase.

Portanto, para a última frase de exemplo, o certo seria:

- Fiz o pedido à garçonete.


CONCLUSÃO

Se você pegou a regra geral, então fica fácil: 

  • Só se usa a crase quando a palavra que segue for feminina e requerer o artigo a e a preposição a
- Pedir a DeusNão tem crase. ("Deus" é palavra masculino = o Deus).
- Fui à BahiaTem crase. (Dizemos "a Bahia").
- Fui a ParisNão tem crase. (Não se diz "a Paris").

Na dúvida, faça o teste: substitua a palavra seguinte por outra que seja masculina. Se, após a substituição, for necessário usar ao, e não a, é porque a crase é necessária.


IMPLICAÇÕES DA REGRA

  • Use crase antes de hora, se o número não for precedido de para, desde, até
- Saí às oito horas. Usa-se crase. (Saí a + as oito horas).
- Estou aqui desde as 14 horas. Não tem crase. (Estou aqui desde + as 14 horas).
Ficarei até as 19 horasNão tem crase. (Ficarei até + as 19 horas).
Marcamos para as 12 horasNão tem crase. (Marcamos para + as 12 horas).

  • Usa-se crase quando o sentido de a é à moda de
- Ela sempre sai à francesa.
- Ele uso o cabelo à Elvis Presley.

* Note que Elvis é palavra masculina, mas mesmo assim se usa a crase. Isso porque a frase concentra uma construção subjacente, nas entrelinhas: Ele usa o cabelo à moda de Elvis Presley.

  • Usa-se crase antes de locuções adverbiais femininas com ideia de tempo, lugar e modo, como nos exemplos:
- Às vezes chove por aqui. ("vezes" é palavra feminina).
- Sempre saímos às pressas. ("pressas" é palavra feminina).


QUANDO NÃO USAR

  • Antes de palavras masculinas
- Fui até lá à pé. (Errado).
- Fazemos entrega à domicílio. (Errado).

  • Antes de verbo no infinitivo
- Estava quase à comprar aquelas botas. (Errado).

  • Antes de substantivos no plural
- Evito me expor à pessoas de baixa índole. (Errado).

  • Antes de pronomes
- Passe o recado à ela. (Errado).
- Costumo sair à esta hora. (Errado).
- Vou à qualquer restaurante. (Errado).

  • Antes do artigo uma
- Fui à uma festa inesquecível. (Errado).

  • Entre substantivos repetidos
- Dia à dia. (Errado).
- Gota à gota. (Errado).
- Cara à cara. (Errado).
- Frente à frente. (Errado).

  • Diante de palavras que não requerem artigo.
Nos seguintes casos, é preciso prestar mais atenção, pois não é a palavra usada que irá determinar o uso da crase, mas o significado: o termo levará crase somente se for determinado. Veja os exemplos:

- O marujo voltou a terra. (Correto).
- O marujo voltou à terra das gaivotas. (Correto).

* Note que no primeiro caso não diríamos "o marujo pisou na (em + a) terra", diríamos "o marujo pisou em terra", porque a "terra" é palavra genérica, não específica.

- Fui a Paris. (Correto).
- Fui à Bahia. (Correto).

* Não se diz "a Paris"; mas dizer "a Bahia" está correto.

- Fui à Paris dos meus sonhos. (Correto).

* A Paris dos meus sonhos é termo para o qual se pode usar artigo e, portanto, a crase é obrigatória neste caso.

- Chegamos a casa. (Correto).
- Chegamos à casa de Pedro. (Correto).


CASOS OPCIONAIS

  • Antes de pronome possessivo feminino (minha, nossa, tua).
- Leve a carta a minha mãe. (Correto).
- Leve a carta à minha mãe. (Correto).

  • Depois da palavra até.
- Caminhamos até a fazenda. (Correto).
Caminhamos até à fazenda. (Correto).

  • Antes de substantivo feminino pprio.
- Não diga nada a Cláudia. (Correto).
- Não diga nada à Cláudia. (Correto).

* Isso ocorre porque em português é opcional o uso de artigo antes de nomes próprios: pode-se dizer conheço Maria ou conheço a Maria.






Revisão de Texto Já! | Revisão de Livros, Teses, Artigos, TCCs e Monografias - 2017